Sábado, 20 Maio 2017 15:47

Esteatose Hepática e células inflamatórias

Escrito por
Avalie este ítem
(2 Votos)

Pesquisadores identificaram células inflamatórias que desempenham um papel fundamental na doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA).

O achado poderá conduzir ao desenvolvimento de um potencial tratamento para a doença. O tratamento atual para a DHGNA consiste em alterações na alimentação do paciente.

O aumento da obesidade provocou uma epidemia de doença hepática gordurosa tanto em crianças como em adultos. No entanto, só um pequeno número daqueles indivíduos irá desenvolver a forma mais severa desta doença, conhecida como doença hepática gordurosa não alcoólica ou DHGNA. Para o estudo, os pesquisadores conduziram vários ensaios clínicos para determinar a influência da alimentação na inflamação do fígado e o seu desenvolvimento até à ocorrência da DHGNA. 

A equipe começou com as células imunitárias envolvidas na inflamação do tecido adiposo em pacientes com resistência à insulina, procurando determinar o papel das células T Natural Killer e das células T CD8 no desenvolvimento da doença.

Para isto alimentaram um grupo de ratos com uma dieta do tipo ocidental, rica em gordura e em hidratos de carbono, e um grupo de controle com a dieta normal durante um período de 16 semanas. Como resultado, os ratos da dieta ocidental evidenciaram um aumento na inflamação, com infiltração de células T Natural Killer e CD8 no fígado, em comparação com os ratos na dieta normal.

Seguidamente, para identificar o papel de cada célula imunitária, os pesquisadores repetiram, o ensaio em ratos aos quais tinham sido removidas células T Natural Killer funcionais. Após 16 semanas, os ratos na dieta ocidental não se tornaram obesos nem demonstraram progressos para desenvolver DHGNA, o que sugere que aquele tipo de células T poderá desempenhar um papel integral no desenvolvimento daqueles problemas hepáticos.

A equipe também conduziu outro ensaio em roedores aos quais tinham sido removidas células T CD8. Os ratos ficaram obesos, mas encontravam-se protegidos contra a DHGNA, apresentando menos macrófagos e fibrose no fígado. As biópsias efetuadas ao fígado de humanos com DHGNA revelaram infiltração de células T CD8. Embora não se tenha observado infiltração de células T Natural KiIller, a equipe admite que as alterações neste tipo de células possam ser temporárias.

Os achados vão ajudar os pesquisadores a se centrarem em certos tipos de células inflamatórias que parecem ser cruciais no desenvolvimento da doença hepática severa e aproxima-los do desenvolvi mento de um tratamento.

Artigo Original

  • Bhattacharjee, J., Kirby, M., Softic, S., Miles, L., Salazar-Gonzalez, R.-M., Shivakumar, P. and Kohli, R. (2017), Hepatic natural killer T-cell and CD8+ T-cell signatures in mice with nonalcoholic steatohepatitis. Hepatology Communications. doi:10.1002/hep4.1041 

 

 

Lido 148 vezes Última modificação em Sábado, 20 Maio 2017 16:01
Dr. Renato Riccio

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Medicina Funcional e Integrativa com foco em Medicina do Estilo de Vida

www.drrenatoriccio.med.br
Faça login para comentar

Sobre o Equilibrium

O Centro Equilibrium - Medicina Individualizada vem realizando atendimento médico em Medicina Funcional com foco em Estilo de Vida há mais de 30 anos. Venha conhecer uma forma bem diferente de atendimento médico, que tem como foco a prevenção e a orientação do paciente, buscando juntamente com ele o atingimento de suas metas individuais.

Leia em Vitamina D

  • Deficiência de Vitamina D em homens pode aumentar o risco de cefaléia crônica

    Uma nova pesquisa européia sugere que a falta de vitamina D poderia ter outro efeito sobre a saúde, aumentando o risco de dor de cabeça crônica em homens.

  • Vitamina D e um sono bom e o gerenciamento da dor

    Após uma revisão das pesquisas publicadas sobre a relação entre vitamina D, sono e dor, os pesquisadores sugerem que a suplementação de vitamina D, juntamente com uma boa higiene do sono, pode oferecer uma maneira eficaz de administrar a dor em condições como artrite, dor nas costas crônica, fibromialgia e cólicas menstruais.

  • Menos radioterapia necessária se houver mais vitamina D (câncer de pulmão no laboratório) - março de 2017

    A vitamina D melhora a sensibilização do câncer de pulmão para a radioterapia

  • Vitamina D - novo estudo sugere que ela ajuda a diminuir o risco de câncer

    A vitamina D e o cálcio, há muito reconhecidos como importantes para a saúde óssea, atraíram o interesse clínico nos últimos anos por seus potenciais benefícios não esqueléticos, incluindo a prevenção do câncer.

  • Vitamina D permite prever a agressividade do câncer de próstata

    Pesquisadores americanos sugerem que há uma ligação entre os níveis baixos de vitamina D e a agressividade do câncer de próstata, é o que mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.