Sábado, 27 Maio 2017 15:38

Localização de gordura corporal como preditor de certos tipos de câncer Destaque

Escrito por
Avalie este ítem
(1 Voto)

Uma equipe de investigadores descobriu que a localização da gordura corporal é um indicador de risco de câncer tão fidedigno quanto o Índice de Massa Corporal (IMC).

Em um estudo efetuado pela Agência Internacional de Investigação do Câncer (IARC-WHO), descobriu-se que a gordura nas zonas da cintura e quadris fazem aumentar o risco de se desenvolver um câncer relacionado com a obesidade. Para o estudo, contou-se com a participação de 43.000 pessoas que foram seguidas durante uma média de 12 anos, sendo que 1.600 participantes desenvolveram câncer relacionado com a obesidade. Para tal, foi utilizada uma abordagem nova que demonstrou que três formas diferentes de medir o corpo – IMC, perímetro abdominal e o razão entre circunferência abdominal e circunferência do quadril – prognosticavam, de forma semelhante, aquele tipo de risco de câncer em adultos de idade mais avançada.

Os investigadores verificaram que o ganho de 11cm na cintura faziam aumentar o risco de câncer relacionado com a obesidade em 13% e 8cm adicionais nos quadris faziam aumentar o risco de câncer nos intestinos em 15%. 

O excesso de gordura corporal pode fazer alterar os níveis de hormônios sexuais, como estrógenos e testosterona, podendo fazer subir os níveis de insulina e conduzir à inflamação, todos fatores associados a um maior risco de câncer. O excesso de peso e a obesidade são a única causa maior de câncer que pode ser prevenida, depois do hábito de fumar, estando associados a 13 tipos de câncer que incluem o da mama, intestinos e do pâncreas. 

Artigo Original

  • Freisling H, Arnold M, Soerjomataram I, O'Doherty MG, Ordóñez-Mena JM, Bamia C, Kampman E, Leitzmann M, Romieu I, Kee F, Tsilidis K, Tjønneland A, Trichopoulou A, Boffetta P, Benetou V, Bueno-de-Mesquita HBA, Huerta JM, Brenner H, Wilsgaard T, Jenab M. Comparison of general obesity and measures of body fat distribution in older adults in relation to cancer risk: meta-analysis of individual participant data of seven prospective cohorts in Europe. Br J Cancer. 2017 May 23;116(11):1486-1497. doi: 10.1038/bjc.2017.106. Epub 2017 Apr 25. PubMed PMID: 28441380. 

 

Lido 221 vezes Última modificação em Sábado, 27 Maio 2017 15:43
Dr. Renato Riccio

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Medicina Funcional e Integrativa com foco em Medicina do Estilo de Vida

www.drrenatoriccio.med.br
Faça login para comentar

Sobre o Equilibrium

O Centro Equilibrium - Medicina Individualizada vem realizando atendimento médico em Medicina Funcional com foco em Estilo de Vida há mais de 30 anos. Venha conhecer uma forma bem diferente de atendimento médico, que tem como foco a prevenção e a orientação do paciente, buscando juntamente com ele o atingimento de suas metas individuais.

Leia em Vitamina D

  • Deficiência de Vitamina D em homens pode aumentar o risco de cefaléia crônica

    Uma nova pesquisa européia sugere que a falta de vitamina D poderia ter outro efeito sobre a saúde, aumentando o risco de dor de cabeça crônica em homens.

  • Vitamina D e um sono bom e o gerenciamento da dor

    Após uma revisão das pesquisas publicadas sobre a relação entre vitamina D, sono e dor, os pesquisadores sugerem que a suplementação de vitamina D, juntamente com uma boa higiene do sono, pode oferecer uma maneira eficaz de administrar a dor em condições como artrite, dor nas costas crônica, fibromialgia e cólicas menstruais.

  • Menos radioterapia necessária se houver mais vitamina D (câncer de pulmão no laboratório) - março de 2017

    A vitamina D melhora a sensibilização do câncer de pulmão para a radioterapia

  • Vitamina D - novo estudo sugere que ela ajuda a diminuir o risco de câncer

    A vitamina D e o cálcio, há muito reconhecidos como importantes para a saúde óssea, atraíram o interesse clínico nos últimos anos por seus potenciais benefícios não esqueléticos, incluindo a prevenção do câncer.

  • Vitamina D permite prever a agressividade do câncer de próstata

    Pesquisadores americanos sugerem que há uma ligação entre os níveis baixos de vitamina D e a agressividade do câncer de próstata, é o que mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.