Quarta, 21 Junho 2017 17:55

Um jeito natural de matar o câncer de fome Destaque

Escrito por
Avalie este ítem
(4 Votos)

O VEGF é um dos principais contribuintes pelo qual os tumores de câncer saem do controle

Para crianças saudáveis e em crescimento, o VEGF é um mecanismo necessário para este crescimento. Por ser uma "proteína de sinalização", ele ajuda a promover novos vasos sanguíneos e também incentiva o tecido a crescer, restaurando o suprimento de sangue para as células. Para bebês, o VEGF é um dos principais processos que os ajuda a se desenvolverem dentro do útero.

À medida que os jovens se movem para a idade adulta, o VEGF vai diminuindo. Embora o VEGF ainda seja necessário para algumas funções do sistema nervoso, circulatório e respiratório, bem como a cicatrização de feridas, níveis consistentemente elevados de VEGF podem ser bandeiras vermelhas para muitas doenças. Por exemplo, os indivíduos obesos e aqueles com diabetes demonstraram ter altos níveis de VEGF, assim como aqueles com artrite, esclerose multipla e doenças infecciosas (sendo a malária um exemplo extremo).

A gestão do VEGF também é crucial para impedir a propagação de qualquer forma de crescimento cancerígeno. Isso ocorre porque o VEGF é um dos principais contribuintes de um processo chamado angiogênese da célula do câncer. A angiogênese de células de câncer é o processo central através da qual pequenas "neoplasias" (tumores de câncer com menos de 1 mm) crescem em tumores cancerígenos maiores e, possivelmente, metastáticos.

Os tumores malignos são notoriamente implacáveis quando se trata de encontrar maneiras de crescerem e se multiplicarem. O fato deles precisarem de um suprimento de sangue independente para crescer, as células cancerosas criam literalmente seu próprio VEGF. Um câncer continuará a produzir VEGF à medida que cresce em tamanho e eventualmente se ramifica para outros órgãos do corpo.

Alimentos anti-angiogênicos desligarão o VEGF naturalmente

A medicina convencional baseia-se em inibidores de VEGF, agentes quimioterápicos que se acompanham de seus próprios efeitos colaterais desagradáveis e persistentes, e que têm como função reduzir o VEGF nas células cancerígenas. Contudo, existem substâncias e modalidades naturais que você pode usar que também demonstraram diminuir o VEGF nas células cancerígenas.

O pesquisador visionário do câncer, o Dr. William Li, fundador da Fundação Angiogenesis e um popular orador do TED, está atualmente no processo de criar um sistema de classificação que avaliará os alimentos de acordo com sua capacidade de reduzir a angiogênese das células cancerígenas. Ele e outros dizem que é possível matar o câncer de fome por meio da ingestão de alimentos que têm efeito direto sobre o VEGF das células cancerígenas.

A seguir temos apenas uma lista parcial de alguns agentes "anti-angiogênicos" naturais citados por Li e outros. Você notará que muitos desses também são super-antioxidantes, impulsionadores imunitários e lutadores contra câncer de mama também:

  • Uvas vermelhas
  • Amoras
  • Aipo
  • Chá verde
  • Couve 
  • Alcachofra
  • Alho
  • Tomate
  • Ervas como noz-moscada, açafrão, salsa e tomilho

Outras sugestões para reduzir o VEGF verificado por estudos incluem aumentar a ingestão de vitamina C e E e praticar técnicas de redução do estresse. Um estudo recente sobre células de câncer de ovário por pesquisadores da Universidade Estadual de Ohio descobriu que a norepinefrina (também conhecida como noradrenalina), produzida durante períodos de estresse, pode estimular células tumorais a liberarem o VEGF.

Onde quer que sua jornada com câncer esteja levando você neste momento, entender os mecanismos internos que podem ser bandeiras vermelhas para "ativar" o crescimento do câncer é uma parte crucial para ter sua saúde em suas próprias mãos. Escolher comer alimentos que são "anti-angiogênicos" e optar por incluir técnicas de gerenciamento de estresse em sua rotina diária é verdadeiramente agir proativamente através da prevenção em todos os níveis.

Referências

  1. Duffy AM, Bouchier-Hayes DJ, Harmey JH. Vascular Endothelial Growth Factor (VEGF) and Its Role in Non-Endothelial Cells: Autocrine Signalling by VEGF. In: Madame Curie Bioscience Database [Internet]. Austin (TX): Landes Bioscience; 2000-2013. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK6482/
  2. Furuta T, Kimura M, Watanabe N. Elevated Levels of Vascular Endothelial Growth Factor (VEGF) and Soluble Vascular Endothelial Growth Factor Receptor (VEGFR)-2 in Human Malaria. The American Journal of Tropical Medicine and Hygiene. 2010;82(1):136-139. doi:10.4269/ajtmh.2010.09-0203.
  3. Shibuya M. VEGF-VEGFR Signals in Health and Disease. Biomolecules & Therapeutics. 2014;22(1):1-9. doi:10.4062/biomolther.2013.113.
  4. Aiello LP, Wong JS. Role of vascular endothelial growth factor in diabetic vascular complications. Kidney Int Suppl. 2000 Sep;77:S113-9. Review. PubMed PMID: 10997700.
  5. http://www.hopkinsmedicine.org/geriatric_medicine_gerontology/aging_research/biology_healthy_aging/immune_senescence.html
  6. https://www.biooncology.com/pathways/cancer-tumor-targets/vegf/vegf-tumor-angiogenesis.html
  7. https://www.cancer.gov/about-cancer/treatment/types/immunotherapy/angiogenesis-inhibitors-fact-sheet
  8. https://www.ted.com/speakers/william_li
  9. https://angio.org/
  10. Wang F, He Z, Dai W, Li Q, Liu X, Zhang Z, Zhai D, Chen J, Chen W. The role of the vascular endothelial growth factor/vascular endothelial growth factor receptors axis mediated angiogenesis in curcumin-loaded nanostructured lipid carriers induced human HepG2 cells apoptosis. J Cancer Res Ther. 2015 Jul-Sep;11(3):597-605. doi: 10.4103/0973-1482.159086. PubMed PMID: 26458588.
  11. Nespereira B, Pérez-Ilzarbe M, Fernández P, Fuentes AM, Páramo JA, Rodríguez JA. Vitamins C and E downregulate vascular VEGF and VEGFR-2 expression in apolipoprotein-E-deficient mice. Atherosclerosis. 2003 Nov;171(1):67-73. PubMed PMID: 14642407.
  12. Yang EV, Sood AK, Chen M, Li Y, Eubank TD, Marsh CB, Jewell S, Flavahan NA, Morrison C, Yeh PE, Lemeshow S, Glaser R. Norepinephrine up-regulates the expression of vascular endothelial growth factor, matrix metalloproteinase (MMP)-2, and MMP-9 in nasopharyngeal carcinoma tumor cells. Cancer Res. 2006 Nov 1;66(21):10357-64. PubMed PMID: 17079456.

 

Lido 573 vezes Última modificação em Quarta, 21 Junho 2017 18:26
Dr. Renato Riccio

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Medicina Funcional e Integrativa com foco em Medicina do Estilo de Vida

www.drrenatoriccio.med.br
Faça login para comentar

Sobre o Equilibrium

O Centro Equilibrium - Medicina Individualizada vem realizando atendimento médico em Medicina Funcional com foco em Estilo de Vida há mais de 30 anos. Venha conhecer uma forma bem diferente de atendimento médico, que tem como foco a prevenção e a orientação do paciente, buscando juntamente com ele o atingimento de suas metas individuais.

Leia em Vitamina D

  • Deficiência de Vitamina D em homens pode aumentar o risco de cefaléia crônica

    Uma nova pesquisa européia sugere que a falta de vitamina D poderia ter outro efeito sobre a saúde, aumentando o risco de dor de cabeça crônica em homens.

  • Vitamina D e um sono bom e o gerenciamento da dor

    Após uma revisão das pesquisas publicadas sobre a relação entre vitamina D, sono e dor, os pesquisadores sugerem que a suplementação de vitamina D, juntamente com uma boa higiene do sono, pode oferecer uma maneira eficaz de administrar a dor em condições como artrite, dor nas costas crônica, fibromialgia e cólicas menstruais.

  • Menos radioterapia necessária se houver mais vitamina D (câncer de pulmão no laboratório) - março de 2017

    A vitamina D melhora a sensibilização do câncer de pulmão para a radioterapia

  • Vitamina D - novo estudo sugere que ela ajuda a diminuir o risco de câncer

    A vitamina D e o cálcio, há muito reconhecidos como importantes para a saúde óssea, atraíram o interesse clínico nos últimos anos por seus potenciais benefícios não esqueléticos, incluindo a prevenção do câncer.

  • Vitamina D permite prever a agressividade do câncer de próstata

    Pesquisadores americanos sugerem que há uma ligação entre os níveis baixos de vitamina D e a agressividade do câncer de próstata, é o que mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.