Domingo, 30 Julho 2017 16:45

Sintomas de Hipotireoidismo na Mulher Destaque

Escrito por
Avalie este ítem
(3 Votos)

Os hormônios são mensageiros químicos que são essenciais para muitas das funções de nosso corpo.

A glândula tireóide (em forma de borboleta), no pescoço, é um dos principais reguladores da função hormonal no organismo e desempenha um papel crucial no crescimento, metabolismo e no humor. Ter hipotireoidismo - também conhecido como tireóide “baixa" ou "insuficiente" significa que a glândula tireoideana não está produzindo hormônios suficientes.  

Os sintomas do hipotireoidismo nas mulheres são bastante comuns entre as idosas. A depressão pode ser definitivamente o resultado de sintomas de hipotiroidismo nas mulheres. Outros sintomas podem incluir:  

  • Síndrome do túnel do carpo,
  • Prisão de ventre,
  • Pele seca,
  • Colesterol elevado no sangue,
  • Fadiga,
  • Perda de cabelo ou cabelos secos,
  • Períodos menstruais mais pesados do que normais ou irregulares,
  • Rouquidão,
  • Memória prejudicada,
  • Maior sensibilidade ao frio,
  • Fraqueza muscular,
  • Dores e/ou rigidez musculares,
  • Rigidez ou inchaço nas articulações,
  • Rosto inchado,
  • Freqüência cardíaca lentificada,
  • Inchaço da glândula tireóide,
  • Ganho de peso.

Essa é uma lista bastante longa, e é claro que todos e cada um desses sintomas podem ser causados por algo além do hipotireoidismo. É por isso que é importante ser examinado adequadamente para que se confirme o diagnóstico. 

Sintomas de Hipotiroidismo nas Mulheres: Fatores de Risco e Testes 

Além da idade, os fatores de risco para a condição incluem: outros membros da família com hipotireoidismo; ter uma condição auto-imune, como diabetes tipo 1; ou ter dificuldades anteriores com a tireoide, como câncer de tireóide. 

A presença de hipotiroidismo pode ser confirmada com um exame de sangue. Normalmente, ele é identificado quando alguém visita seu médico rotineiro para sintomas de depressão combinados com qualquer número de outros sintomas listados acima. 

Muitas vezes, o médico pedirá exames de sangue que incluam as medições de hormônios, geralmente hormônio estimulante da tireóide (TSH), produzido pelo hipotálamo no cérebro e hormônios produzidos pela própria glândula tireóide, como triiodotironina (T3) ou tiroxina (T4). 

Tratando os sintomas do hipotiroidismo nas mulheres 

Felizmente, o hipotireoidismo é bastante fácil de tratar. Normalmente, seu médico lhe dará uma versão sintética do hormônio da tireóide levotiroxina. 

As primeiras semanas de tratamento podem ser complicadas, pois você deve determinar qual é a dose certa para você. Isso significa que você deve notar se seus sintomas de hipotireoidismo estão indo embora, mas também se você está desenvolvendo sintomas de hipertireoidismo, o que significa que você está recebendo muito hormônio da tireóide. Estes sintomas incluem: 

  • Ansiedade
  • Perda de peso excessiva
  • Palpitações cardíacas
  • Aumento do apetite
  • Insônia
  • Tremores ou tremores 

A boa notícia é que a maioria das pessoas é capaz de encontrar uma dose de levotiroxina que trata seu hipotireoidismo sem produzir efeitos colaterais indesejados. O truque é manter seu tratamento e conversar com seu médico se você tiver algum problema incômodo. 

Hipotiroidismo versus hipertireoidismo 

Algumas pessoas experimentam depressão quando a glândula tireóide é hiperativa, uma condição conhecida como hipertireoidismo. Isso é menos comum do que a depressão associada ao hipotireoidismo, mas pode acontecer. 

Então, se você tiver algum dos sintomas listados acima combinados com a depressão, sua tireoide ainda pode ser a culpada. Os mesmos exames de sangue utilizados para detectar hipotiroidismo também revelarão o hipertireoidismo. 

Para o hipertireoidismo, são utilizados medicamentos que reduzem a atividade da tireóide. Em alguns casos, a glândula tireoidiana em si precisa ser removida cirurgicamente, como quando o hipertireoidismo é causado pelo câncer que cresce na glândula. Neste caso, você receberá hormônio tireoidiano sintético para tomar após sua cirurgia. 

Tenha em mente que a depressão pode ocorrer ao lado do hipotireoidismo. Então, se o seu hipotireoidismo está sendo tratado, e todos os seus sintomas desaparecem exceto pela sua depressão, é possível que haja outra coisa acontecendo. Neste ponto, seria sábio falar com o seu médico sobre a avaliação de depressão e discutir como isso pode ser tratado. 

 

Lido 126 vezes Última modificação em Domingo, 30 Julho 2017 16:57
Dr. Renato Riccio

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Medicina Funcional e Integrativa com foco em Medicina do Estilo de Vida

www.drrenatoriccio.med.br
Faça login para comentar

Sobre o Equilibrium

O Centro Equilibrium - Medicina Individualizada vem realizando atendimento médico em Medicina Funcional com foco em Estilo de Vida há mais de 30 anos. Venha conhecer uma forma bem diferente de atendimento médico, que tem como foco a prevenção e a orientação do paciente, buscando juntamente com ele o atingimento de suas metas individuais.

Leia em Vitamina D

  • Deficiência de Vitamina D em homens pode aumentar o risco de cefaléia crônica

    Uma nova pesquisa européia sugere que a falta de vitamina D poderia ter outro efeito sobre a saúde, aumentando o risco de dor de cabeça crônica em homens.

  • Vitamina D e um sono bom e o gerenciamento da dor

    Após uma revisão das pesquisas publicadas sobre a relação entre vitamina D, sono e dor, os pesquisadores sugerem que a suplementação de vitamina D, juntamente com uma boa higiene do sono, pode oferecer uma maneira eficaz de administrar a dor em condições como artrite, dor nas costas crônica, fibromialgia e cólicas menstruais.

  • Menos radioterapia necessária se houver mais vitamina D (câncer de pulmão no laboratório) - março de 2017

    A vitamina D melhora a sensibilização do câncer de pulmão para a radioterapia

  • Vitamina D - novo estudo sugere que ela ajuda a diminuir o risco de câncer

    A vitamina D e o cálcio, há muito reconhecidos como importantes para a saúde óssea, atraíram o interesse clínico nos últimos anos por seus potenciais benefícios não esqueléticos, incluindo a prevenção do câncer.

  • Vitamina D permite prever a agressividade do câncer de próstata

    Pesquisadores americanos sugerem que há uma ligação entre os níveis baixos de vitamina D e a agressividade do câncer de próstata, é o que mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.