Domingo, 20 Agosto 2017 15:24

Como vencer o vício do açúcar Destaque

Escrito por
Avalie este ítem
(3 Votos)

A realidade atual mostra uma terrível verdade: a quantidade de açúcar na dieta das pessoas nas últimas décadas cresceu de forma vertiginosa. 

Segundo dados recentes do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, o americano médio consome cerca de 70 quilos de açúcar processado a cada ano. Como já falei em outro post, isso significa cerca de 22 colheres de chá por dia para adultos e 34 colheres de chá por dia para adolescentes! Some-se a este fato que o americano médio come cerca de 60 quilos de farinha branca processada, ou seja, definitivamente temos um grande problema com o açúcar! 

Esse consumo excessivo de açúcar processado foi culpado por contribuir com sérios problemas de saúde, como a diabetes tipo 2, as doenças cardíacas, a epidemia de obesidade e, o pior deles, o câncer, que tem explodido nas nações ocidentais. A ingestão de alimentos com açúcar de forma constante e repetitiva leva não só à deterioração da saúde, mas também a um ciclo de abstinência e alimentação contínua com carboidratos. 

Todos nós experimentamos provavelmente como a abstinência de açúcar funciona: quando você adquire o hábito de comer doces continuamente ao longo do dia, você acaba desejando-os cada vez mais. Isto é especialmente verdadeiro se você desenvolver o hábito de comer ou beber açúcar em momentos específicos do dia, ou em certos locais onde os comece a associá-lo com os alimentos doces; por exemplo, tomar um sorvete antes de dormir toda noite ou aquela sobremesa depois do jantar no restaurante podem tornarem-se um hábito muito facilmente gravado em nossa rotina. Até mesmo aquele copo de suco de laranja pela manhã ou aquela tigela de aveia com passas podem representar um problema significativo. 

Um vício ao açúcar pode se formar parcialmente como sendo um simples hábito, mas também pode se tornar um vício com componentes físicos e psicológicos. A razão para isso se dá por conta dos efeitos que o próprio açúcar tem no nosso corpo: 

  • O açúcar tem uma pontuação extremamente alta no índice glicêmico. Isso significa que causa estragos nos níveis de açúcar sanguíneos, levando a altas e baixas dos níveis de insulina. Estas oscilações da insulina nos fazem desejar mais doces e, eventualmente, isso pode resultar na condição séria da resistência à insulina ou o diabetes.
  • O açúcar também não possui nenhum nutriente, embora forneça uma quantidade elevada de calorias. As calorias do açúcar são "vazias", o que significa que elas não fornecem ao nosso corpo nenhuma forma de energia duradoura.
  • Um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition sugere que o açúcar é altamente viciante ao desencadear o centro de dependência no cérebro chamado "Nucleus accumbens". 

Um passo muito importante é o de se abandonar os alimentos processados 

Você vai querer evitar alimentos processados tanto quanto possível se você tiver um vício em açúcar. É muito comum encontrar pelo menos um tipo de açúcar, se não mais, em muitos alimentos processados "saudáveis" como iogurtes, cereais, comidas congeladas, refrigerantes dietéticos, bebidas esportivas, gomas, pães integrais, condimentos e muito mais. Consumir esses tipos de alimentos processados torna você mais propenso a cair no hábito de desejar açúcar e carboidratos ao longo do dia. 

Os adoçantes artificiais não são uma ótima alternativa 

Não se deixe enganar ao pensar que usar adoçantes artificiais seja melhor. Para curar seu vício de açúcar de forma efetiva, é melhor eliminar todos os adoçantes artificiais (embora continuem a existir alguns adoçantes naturais ou à base de plantas, como o extrato de estévia orgânico, que pode ser uma opção no futuro, uma vez que as vontades iniciais se tornam menores). Os adoçantes artificiais são comumente adicionados a uma variedade de alimentos embalados bastante populares, especialmente aqueles que estão tentando se promover os famosos "light", "diet" ou "livre de açúcares". Por que adoçantes artificiais aumentam o vício de açúcar? Depois de provar algo doce, nosso cérebro fica como que "esperando" que o açúcar seja ingerido, e, portanto, suas calorias também, mas, como não há entrada de calorias e nem mesmo do próprio açúcar no corpo, quando comemos alimentos artificialmente adoçados, nosso cérebro acaba sinalizando ao corpo que quer outras formas de açúcar e doces para compensar a falta de calorias anteriormente experimentada. 

Como me livro do açúcar? 

Para debelar seus desejos de açúcar de uma forma efetiva, você pode usar uma das duas abordagens: reduza gradualmente o açúcar ou apenas elimine-o de uma só vez. 

  1. Reduza-o lentamente: Se preferir desistir do açúcar lentamente, considere fazê-lo em pequenas etapas a fim de cortá-lo da sua dieta. Tente adicionar menos açúcar ao seu café/chá todas as manhãs, mudando para um café da manhã com menos açúcar adicionado, desistindo daquele refrigerante, e assim por diante.
  2. Elimine-o de uma vez: Bem, se você quiser de dar um salto maior e cortar totalmente o açúcar, provavelmente será capaz de curar seu vício de uma forma mais rápida. Entretanto, essa abordagem requer muito esforço e força de vontade para passar por uma ligeira "fase de retirada" que, normalmente, vem acompanhada de uma síndrome de abstinência em boa parte dos casos. 

Eu normalmente recomendo ir "calmamente", mas qualquer abordagem será boa, desde que você possa sustentá-la. 

As maiores mudanças que você deve fazer para curar seu corpo e otimizar a saúde, independentemente das dependências alimentares atuais ou não, é eliminar o máximo possível de alimentos processados e concentrar-se em comer alimentos de verdade. Deixe de lado o cereal, pão, iogurtes aromatizados, sucos, aveia instantânea, e assim por diante. 

Objetive obter a ingestão de açúcar a partir de alimentos integrais, naturais, como vegetais, nozes e frutas com baixo índice glicêmico (bagas). Esta é a melhor opção e permitirá que você aproveite seus alimentos sem cometer abuso de açúcar. 

 

 

Lido 476 vezes Última modificação em Domingo, 20 Agosto 2017 15:44
Dr. Renato Riccio

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Medicina Funcional e Integrativa com foco em Medicina do Estilo de Vida

www.drrenatoriccio.med.br
Faça login para comentar

Sobre o Equilibrium

O Centro Equilibrium - Medicina Individualizada vem realizando atendimento médico em Medicina Funcional com foco em Estilo de Vida há mais de 30 anos. Venha conhecer uma forma bem diferente de atendimento médico, que tem como foco a prevenção e a orientação do paciente, buscando juntamente com ele o atingimento de suas metas individuais.

Leia em Vitamina D

  • Deficiência de Vitamina D em homens pode aumentar o risco de cefaléia crônica

    Uma nova pesquisa européia sugere que a falta de vitamina D poderia ter outro efeito sobre a saúde, aumentando o risco de dor de cabeça crônica em homens.

  • Vitamina D e um sono bom e o gerenciamento da dor

    Após uma revisão das pesquisas publicadas sobre a relação entre vitamina D, sono e dor, os pesquisadores sugerem que a suplementação de vitamina D, juntamente com uma boa higiene do sono, pode oferecer uma maneira eficaz de administrar a dor em condições como artrite, dor nas costas crônica, fibromialgia e cólicas menstruais.

  • Menos radioterapia necessária se houver mais vitamina D (câncer de pulmão no laboratório) - março de 2017

    A vitamina D melhora a sensibilização do câncer de pulmão para a radioterapia

  • Vitamina D - novo estudo sugere que ela ajuda a diminuir o risco de câncer

    A vitamina D e o cálcio, há muito reconhecidos como importantes para a saúde óssea, atraíram o interesse clínico nos últimos anos por seus potenciais benefícios não esqueléticos, incluindo a prevenção do câncer.

  • Vitamina D permite prever a agressividade do câncer de próstata

    Pesquisadores americanos sugerem que há uma ligação entre os níveis baixos de vitamina D e a agressividade do câncer de próstata, é o que mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.