Sexta, 15 Setembro 2017 23:17

Intestino super permeável Destaque

Escrito por
Avalie este ítem
(2 Votos)

Entender que problemas digestivos estejam relacionado com um intestino hiper permeável não é difícil. Entender que problemas digestivos estejam relacionado com um intestino hiper permeável não é difícil. 

Diarreia, constipação, DRGE, gás e inchaço, sensibilidades alimentares, gastrite, colite, doença de Crohn, Doença Celíaca, Síndrome do Intestino Irritável, intolerância ao glúten, pancreatite, hepatite ... Estes estão todos associados ao trato digestivo.

Portanto, não é preciso ser nenhum gênio para se fazer uma conexão!

Mas por mais difícil que possa ser acreditar, o intestino com vazamento também pode aparecer de muitas outras maneiras.

  • Problemas de pele como eczema, psoríase, rosácea, urticária, acne adolescente e acne cística.
  • Distúrbios músculo-esqueléticos, incluindo dor nas articulações, dor muscular e fraqueza, fibromialgia, síndrome da fadiga crônica e osteoartrite.
  • Distúrbios autoimunes tais como alergias, artrite e artrite reumatóide, diabetes tipo 1, hiper-sensibilidades, lúpus, infecções frequentes ou febres de baixa qualidade.
  • Doença cardiovascular, incluindo aterosclerose, arteriosclerose, hipertensão arterial e níveis elevados de colesterol.
  • Perturbações neurológicas como dor de cabeça, enxaqueca, má cognição, neblina cerebral, autismo, depressão, ansiedade, ADD, TOC, MS, Alzheimer, Parkinson e RSD / CRPS.

Espere, espere um pouco, ainda não terminamos, volte aqui!!

  • Desequilíbrios hormonais incluindo tensão pré-menstrual, cistos ovarianos, cabelo facial excessivo nas mulheres, eventos que conduzem a histerectomia, distúrbios da tireoide e fadiga adrenal.
  • Doenças respiratórias como asma, febre do feno, problemas de sinusite, congestão nasal crônica ou corrimento nasal.
  • E, possivelmente, o problema mais prevalente do intestino? Obesidade. Ela está desenfreada em nossa sociedade. E ironicamente, o baixo peso crônico também está relacionado a problemas intestinais.

Mas a pergunta é: o que causa esse dano? De que forma você consegue um intestino vazado em primeiro lugar?

leakygutBem, se a sua dieta estiver repleta de alimentos processados, açúcares, produtos químicos e gorduras trans e for baixa em fibras e nutrientes reais, você, com certeza, é uma vítima da dieta moderna padrão. Até mesmo a comunidade médica já concorda que o intestino vazado parece estar associado à sua dieta. 

E, na medida em que as indústrias se esforçam cada vez mais para fazer com que os alimentos sejam mais convenientes, o aspecto nutricional parece escoar pelo caminho lateral, a fim de dar mais espaço para os lucros.  

Voltando ao assunto, em outras palavras, se a dieta estiver repleta com alimentos processados, açúcares, produtos químicos e gorduras trans, e for baixa em fibras e nutrientes reais, então sim, é provável que uma nutrição menor do que a ideal seja uma das culpadas.  

Por outro lado, o estresse crônico também foi implicado como uma possível causa desta disfunção intestinal. A meu ver, isso é um grande problema, porque esses sintomas de intestino com vazamentos sobre os quais conversamos, também são, por si só, muito estressantes. Coloque nesse bolo também as pressões externas de trabalhos, escola, relacionamentos, finanças e tudo o mais está caindo sobre você! Rapaz! Que dureza hein? 

Mas, alguma contribuição também pode ter vindo a partir das terapais convencionais. Medicamentos para o refluxo ácido (Inibidores das Bombas de Prótons) e antiácidos reduzem a quantidade de ácido no estômago. Ora, mas acontece que você precisa de ácido para digerir proteínas. Ironicamente, na maioria das vezes nos casos de azia, os níveis de ácido estomacal estão, na verdade, muito baixos, e não muito altos, como você naturalmente pensaria. A quantidade adequada de ácido clorídrico precisa estar presente para que o resto da sua digestão possa funcionar do jeito que se espera. Além disso, a proteína precisa ser quebrada para que seu corpo possa utilizá-la. E além de tudo isso, este ácido do estômago é a primeira linha de defesa do seu corpo contra vírus, bactérias nocivas e parasitas. 

O uso excessivo de antibióticos é também outra causa de problemas intestinais. Às vezes, eles são necessários, mas eles acabam matando bactérias benéficas junto com as prejudiciais. O que pode fazer com que seu balanço microbiano fique fora de controle. Isso é conhecido como disbiose (outra palavra extravagante para adicionar ao seu vocabulário).

Radiação, quimioterapia e outras drogas podem causar "hiper permeabilidade" do intestino delgado. Entretanto, medicamentos medicos comuns, como a aspirina e outros AINEs (antiinflamatórios não esteróides), danificam o revestimento intestinal. Lembre-se de que essas drogas têm sido associadas com ulcerações no trato digestivo.

 

Lido 294 vezes Última modificação em Sexta, 15 Setembro 2017 23:40
Dr. Renato Riccio

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Medicina Funcional e Integrativa com foco em Medicina do Estilo de Vida

www.drrenatoriccio.med.br
Faça login para comentar

Sobre o Equilibrium

O Centro Equilibrium - Medicina Individualizada vem realizando atendimento médico em Medicina Funcional com foco em Estilo de Vida há mais de 30 anos. Venha conhecer uma forma bem diferente de atendimento médico, que tem como foco a prevenção e a orientação do paciente, buscando juntamente com ele o atingimento de suas metas individuais.

Leia em Vitamina D

  • Deficiência de Vitamina D em homens pode aumentar o risco de cefaléia crônica

    Uma nova pesquisa européia sugere que a falta de vitamina D poderia ter outro efeito sobre a saúde, aumentando o risco de dor de cabeça crônica em homens.

  • Vitamina D e um sono bom e o gerenciamento da dor

    Após uma revisão das pesquisas publicadas sobre a relação entre vitamina D, sono e dor, os pesquisadores sugerem que a suplementação de vitamina D, juntamente com uma boa higiene do sono, pode oferecer uma maneira eficaz de administrar a dor em condições como artrite, dor nas costas crônica, fibromialgia e cólicas menstruais.

  • Menos radioterapia necessária se houver mais vitamina D (câncer de pulmão no laboratório) - março de 2017

    A vitamina D melhora a sensibilização do câncer de pulmão para a radioterapia

  • Vitamina D - novo estudo sugere que ela ajuda a diminuir o risco de câncer

    A vitamina D e o cálcio, há muito reconhecidos como importantes para a saúde óssea, atraíram o interesse clínico nos últimos anos por seus potenciais benefícios não esqueléticos, incluindo a prevenção do câncer.

  • Vitamina D permite prever a agressividade do câncer de próstata

    Pesquisadores americanos sugerem que há uma ligação entre os níveis baixos de vitamina D e a agressividade do câncer de próstata, é o que mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.