Quinta, 01 Junho 2017 20:54

Vitamina D permite prever a agressividade do câncer de próstata Destaque

Escrito por
Avalie este ítem
(6 Votos)

Pesquisadores americanos sugerem que há uma ligação entre os níveis baixos de vitamina D e a agressividade do câncer de próstata, é o que mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.

Na opinião dos pesquisadores,  estes achados são importantes, pois fornecem um guia para os homens e médicos que estão considerando a vigilância ativa, na qual o câncer é monitorizado ao invés da próstata ser removida.

Os homens com pele escura, baixa ingestão de vitamina D ou baixa exposição solar devem avaliar os níveis de vitamina D quando são diagnosticados com níveis elevados da proteína PSA ou câncer de próstata. No caso em que os níveis de vitamina D forem reduzidos estes devem ser corrigidos com suplementos.

Para o estudo os investigadores contaram com a participação de 190 homens, com um média de 64 anos, que tinham sido submetidos a uma prostatectomia radical, cirurgia para remoção da próstata, entre 2009 e 2014. Quando submetidos à cirurgia verificou-se que 87 tinham câncer de próstata agressivo. O câncer de próstata agressivo é definido com base no fato das células tumorais terem migrado para fora da próstata. Este tipo de câncer também é caracterizado por uma pontuação elevada na escala de Gleason, o que significa que o tecido tumoral difere bastante do saudável e é mais propenso a disseminar-se.

Os pacientes diagnosticados com câncer de próstata agressivo tinham, em média, 22,7 nanogramas/mililitro de vitamina D, uma concentração significativamente menor à considerada normal (30 nanogramas/mililitro).

Artigo Original

  • Nyame YA, Murphy AB, Bowen DK, Jordan G, Batai K, Dixon M, Hollowell CM, Kielb S, Meeks JJ, Gann PH, Macias V, Kajdacsy-Balla A, Catalona WJ, Kittles R. Associations Between Serum Vitamin D and Adverse Pathology in Men Undergoing Radical Prostatectomy. J Clin Oncol. 2016 Apr 20;34(12):1345-9. doi: 10.1200/JCO.2015.65.1463. Epub 2016 Feb 22. PubMed PMID: 26903577; PubMed Central PMCID: PMC4872348.

 

Lido 113 vezes Última modificação em Quinta, 01 Junho 2017 20:59
Dr. Renato Riccio

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Medicina Funcional e Integrativa com foco em Medicina do Estilo de Vida

www.drrenatoriccio.med.br
Faça login para comentar

Sobre o Equilibrium

O Centro Equilibrium - Medicina Individualizada vem realizando atendimento médico em Medicina Funcional com foco em Estilo de Vida há mais de 30 anos. Venha conhecer uma forma bem diferente de atendimento médico, que tem como foco a prevenção e a orientação do paciente, buscando juntamente com ele o atingimento de suas metas individuais.

Leia em Vitamina D

  • Deficiência de Vitamina D em homens pode aumentar o risco de cefaléia crônica

    Uma nova pesquisa européia sugere que a falta de vitamina D poderia ter outro efeito sobre a saúde, aumentando o risco de dor de cabeça crônica em homens.

  • Vitamina D e um sono bom e o gerenciamento da dor

    Após uma revisão das pesquisas publicadas sobre a relação entre vitamina D, sono e dor, os pesquisadores sugerem que a suplementação de vitamina D, juntamente com uma boa higiene do sono, pode oferecer uma maneira eficaz de administrar a dor em condições como artrite, dor nas costas crônica, fibromialgia e cólicas menstruais.

  • Menos radioterapia necessária se houver mais vitamina D (câncer de pulmão no laboratório) - março de 2017

    A vitamina D melhora a sensibilização do câncer de pulmão para a radioterapia

  • Vitamina D - novo estudo sugere que ela ajuda a diminuir o risco de câncer

    A vitamina D e o cálcio, há muito reconhecidos como importantes para a saúde óssea, atraíram o interesse clínico nos últimos anos por seus potenciais benefícios não esqueléticos, incluindo a prevenção do câncer.

  • Vitamina D permite prever a agressividade do câncer de próstata

    Pesquisadores americanos sugerem que há uma ligação entre os níveis baixos de vitamina D e a agressividade do câncer de próstata, é o que mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.