Quarta, 17 Maio 2017 13:51

Níveis de vitamina D e exposição química Destaque

Escrito por
Avalie este ítem
(3 Votos)

A exposição ao bisfenol A (BPA), bem como outros desreguladores endócrinos, pode reduzir os níveis de vitamina D na corrente sanguínea, é o que nos mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism”. 

Os desreguladores endócrinos são substâncias químicas ou misturas delas que podem causar efeitos adversos ao interferirem com os hormônios no organismo. Vários estudos têm demonstrado que a exposição a estes produtos químicos pode causar problemas de infertilidade, obesidade, diabetes, problemas neurológicos e câncer de origem endócrina.

Quase todas as pessoas estão expostas ao BPA e a outra classe de desreguladores endócrinos, conhecida por ftalatos. Desta forma, a possibilidade destes produtos diminuírem os níveis de vitamina D tem grandes implicações para a saúde pública, uma vez que níveis baixos desta vitamina têm sido associados a várias condições, como doença cardiovascular, diabetes e câncer. Os desreguladores endócrinos podem ser encontrados em vários produtos do dia-a-dia e no meio ambiente. Existem mais de 85 mil produtos químicos produzidos, dos quais milhares podem ser desreguladores endócrinos. O BPA é um conhecido desregulador endócrino que é frequentemente encontrado em plásticos e outros produtos de consumo. Os ftalatos, que também afetam os níveis hormonais, estão presentes em produtos de cuidados pessoais, como os cosméticos, produtos infantis, embalagens alimentares e equipamento médico. 

Para este estudo, contou-se com a participação de 4.667 adultos, nos quais foram coletadas amostras de sangue para medição dos níveis de vitamina D. A exposição aos desreguladores endócrinos foi analisada em amostras de urina. O estudo apurou que os indivíduos que tinham sido expostos a elevadas quantidades de ftalatos eram mais propensos a ter níveis mais baixos de vitamina D na corrente sanguínea, comparativamente com os expostos a baixas quantidades de desreguladores endócrinos. Esta associação foi mais forte nas mulheres.

Os cientistas verificaram também que havia uma associação entre a exposição a elevados níveis de BPA e níveis reduzidos de vitamina D nas mulheres. Porém, esta relação não foi estatisticamente significativa para os homens. 

Contudo, são necessários mais estudos de forma a explicar por que motivo esta associação existe, mas é possível que os desreguladores endócrinos alterem a forma ativa da vitamina D no organismo através do mesmo mecanismo que afeta as hormonas reprodutivas e da tiroide.

Artigo Original

  • Johns LE, Ferguson KK, Meeker JD. Relationships Between Urinary Phthalate Metabolite and Bisphenol A Concentrations and Vitamin D Levels in U.S. Adults: National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES), 2005-2010. J Clin Endocrinol Metab. 2016 Nov;101(11):4062-4069. Epub 2016 Sep 20. PubMed PMID: 27648964; PubMed Central PMCID: PMC5095248. 

 

 

 

Lido 103 vezes Última modificação em Quarta, 17 Maio 2017 14:33
Dr. Renato Riccio

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Medicina Funcional e Integrativa com foco em Medicina do Estilo de Vida

www.drrenatoriccio.med.br
Faça login para comentar

Sobre o Equilibrium

O Centro Equilibrium - Medicina Individualizada vem realizando atendimento médico em Medicina Funcional com foco em Estilo de Vida há mais de 30 anos. Venha conhecer uma forma bem diferente de atendimento médico, que tem como foco a prevenção e a orientação do paciente, buscando juntamente com ele o atingimento de suas metas individuais.

Leia em Vitamina D

  • Deficiência de Vitamina D em homens pode aumentar o risco de cefaléia crônica

    Uma nova pesquisa européia sugere que a falta de vitamina D poderia ter outro efeito sobre a saúde, aumentando o risco de dor de cabeça crônica em homens.

  • Vitamina D e um sono bom e o gerenciamento da dor

    Após uma revisão das pesquisas publicadas sobre a relação entre vitamina D, sono e dor, os pesquisadores sugerem que a suplementação de vitamina D, juntamente com uma boa higiene do sono, pode oferecer uma maneira eficaz de administrar a dor em condições como artrite, dor nas costas crônica, fibromialgia e cólicas menstruais.

  • Menos radioterapia necessária se houver mais vitamina D (câncer de pulmão no laboratório) - março de 2017

    A vitamina D melhora a sensibilização do câncer de pulmão para a radioterapia

  • Vitamina D - novo estudo sugere que ela ajuda a diminuir o risco de câncer

    A vitamina D e o cálcio, há muito reconhecidos como importantes para a saúde óssea, atraíram o interesse clínico nos últimos anos por seus potenciais benefícios não esqueléticos, incluindo a prevenção do câncer.

  • Vitamina D permite prever a agressividade do câncer de próstata

    Pesquisadores americanos sugerem que há uma ligação entre os níveis baixos de vitamina D e a agressividade do câncer de próstata, é o que mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.